Monografia | AC  
Faça aqui seu orçamento !
Contatos
MONOGRAFIA ACComo é uma Monografia prontaDissertação de MestradoProjeto de PesquisaFormatacao ABNT de MonografiasArtigo CientificoQualidade MonográficaInvestimentoEntre em Contato Conosco
MONOGRAFIAS DE PSICOLOGIA
 

Feed da Monografia ACTwitter da Monografia ACPerfil Facebook

A RELAÇÃO PAIS E FILHOS - TCC

Veja mais temas de monografia e tcc de Psicologia

As relações que estabelecemos com as pessoas determinam em certa medida nosso estar no mundo. Por isso, parece importante, enfatizar numa das relações que tem grandes repercussões em nossa vida, como é a deste vínculo tão próximo, tão íntimo e tão amado: dos pais e filhos. Esta temática é recorrente em monografias, dissertações de mestrado e TCC em Psicologia, nos seus diversos ramos, seja Psicopedagogia, Psicoterapia, Psicanálise, entre outros.

Saiba mais sobre dissertação de mestrado

Nos últimos anos se veio falando sobre os diversos métodos de importante desenvolvimento nos métodos de disciplina e educação para os menores. Alguns pais se sentem confundidos e perplexos, não raciocinam como manter uma postura firme no momento de disciplinar seus filhos.

Parece que os especialistas se encontram acima da experiência de ser pai ou mãe, e que se esquecem do mais comum dos sentidos, o sentido comum. Alguns estudiosos do comportamento humano falam sobre a importância da responsabilidade, outros sobre a criação, alguns mais sobre os métodos e formas de comunicação com os filhos.

Em realidade, provavelmente todos tenham razão, e são quem pode guiar-nos quando nos sentimos perdidos neste caminho da criação dos filhos. No entanto, essas técnicas ou modos que nos propõem são algumas sugestões, que não necessariamente, determinam nossa experiência.

Desta feita, muitos projetos de pesquisa e monografias enfocam tal propósito. Saiba mais sobre Projeto de Pesquisa

Isto é, cada pai e cada mãe requer avaliar sua situação, as características de seu meio familiar, bem como a maneira de ser e as formas de comportamento das crianças. Outro aspecto importante, para o entendimento do relacionamento entre pais e filhos, é o quadro de modificações que estes passam em seu desenvolvimento, notoriamente a fase denominada a Adolescencia. Veja um ARTIGO SOBRE A ADOLESCENCIA E O ADOLESCENTE

Em realidade não existem melhores ou piores formas de educar, depende do menor, das circunstâncias, do caráter dos pais, da situação pela qual estão atravessando no presente. Também de sua história pessoal, bem como das formas e maneira como cada um deles concebe a educação.

MONOGRAFIA DE PSICOLOGIA EM EDUCAÇÃO FAMILIAR

Para poder oferecer a nossos filhos uma educação e criação de qualidade, temos que contar com determinados aspectos que provavelmente nos guiem para consegui-lo:

A.- Os filhos não são uma extensão dos pais. São pessoas independentes, que sentem por si sós, que pensam por si mesmos e que contam com uma personalidade que se destaca desde que nascem. São especiais. Quando não compreendemos esta situação nos frustramos porque os filhos não fazem as coisas como nós queremos.

Definitivamente não, vão-na a fazer de acordo com o que eles são e podem, de acordo com sua idade e habilidades. Não desejamos ser mal compreendidos, obviamente, que precisamos guiá-los para que aprendam hábitos e limites, mas definitivamente, não podem fazê-lo como eu quero, preciso e desejo.

B.- Os pais são somente facilitadores do desenvolvimento dos filhos. O que significa que não são de nossa propriedade, que os atos de abuso ou violência não se justificam por nenhum motivo. Além de que são pessoas que se encontram num processo de desenvolvimento no qual têm que consolidar sua autoestima, autoconceito e personalidade. No entanto, por vezes, não se consegue perceber o que se passa no interior de seus filhos, podendo ser o caso de que os mesmos apresentem problemas de ordem variada nem sempre detectados. Como exemplo, poderíamos citar a depressão infantil.

Se nós como pais os criticamos constantemente, em lugar, de mostrar-lhes o caminho para fazer algo melhor, então, seguramente, estamos formando filhos ressentidos, incapazes de sentir que fazem algo bem, ademais, de que sua experiência pessoal e autoconceito se irão desenvolvendo de maneira distorcida.

As destrezas, habilidades e aprendizagens, sempre vão estar sustentadas sobre o ensaio e o erro. Ou, talvez, você aprendeu tudo à primeira vez que tentou? Claro que não, também cometeu erros, também se frustrou, também lhe deram suas provas, também o xingaram, e quiçá também, teve que fazer as coisas uma infinidade de vezes até que finalmente as coisas saíram, tal qual você as podia fazer.

C.- Os pais precisam ser uma autoridade para seus filhos. Hoje em dia, aos pais parece que lhes custa trabalho encontrar formas de disciplinar, por um lado, sentem-se culpados quando chamam a atenção, e por outro, compensam-nos com um grande montante de coisas materiais para que se sintam felizes. A falta de autoridade é também um tema recorrente em monografia e tcc de Pedagogia

A disciplina, os limites e a autoridade dos pais sobre os filhos não são algo negociável. Existem diversas maneiras de estabelecer esta forma de autoridade. Alguns pais mostram sua autoridade com rigidez e não são capazes de ser flexíveis e tolerantes com as situações e circunstâncias. Outros são demasiado lassos, e são incapazes de corrigir, disciplinar e estabelecer limites concretos e claros.

Existem outros pais que oscilam entre ambos os estilos, algumas vezes se tornam rígidos, e outras, totalmente lassos.

É IMPORTANTE que você reflita em suas formas e maneiras de estabelecer a autoridade com seus filhos, dessa maneira, talvez, poderá “ dar-se conta” de que é aquilo que está funcionando ou não em sua relação com eles.

Nenhuma relação é tão significativa e importante como esta maravilhosa e estupenda relação dos pais com os filhos. No entanto, a natureza da mesma, por momentos se torna conflitiva e cheia de decepções. Como é possível, que esta pequena pessoa, pela qual vivo, desvelo-me, trabalho, chegue a ser tão impertinente comigo, além de que me desata as sensações e sentimentos mais sublimes, e os mais desagradáveis também.

De certo modo podemos lidar mais com aqueles aspectos de nossos filhos que nos fazem sentir reconfortados, orgulhosos, bons pais, mas quando se desatam sentimentos como o agastamento, a frustração, a impotência, a inveja, a reclamação, então já não nos agrada tanto… Sentimos que somos os piores pais e que estamos fazendo muito, muito, mal nosso papel…

As relações pais e filhos, como toda relação humana, estão sujeitas ao conflito. No entanto, a grande maioria dos pais almeja e mantém a expectativa de que a relação com seus filhos, sempre deveria de ser harmoniosa. Crasso erro, apontado em diversos TCCs desenvolvidos.!

Todos os pais querem que seus filhos sejam felizes. Obviamente que todos almejamos essa felicidade, sucesso e triunfo para eles, mas isso não quer dizer que tenham que estar com o sorriso na boca o tempo todo.

No entanto, quando os vemos enojados ou frustrados, preocupamo-nos, angustiamo-nos. E, o que é pior! Jogamos toda a culpa sobre nós mesmos.

É necessário refletir sobre estes aspectos que determinam a vida entre os pais e os filhos. Requeremos formar homens e mulheres de bem, responsáveis, que sejam capazes de enfrentar com ferramentas sólidas o mundo que lhes toca e lhes caberá viver.

Não percamos de vista, que as gerações de nossos filhos serão os adultos do amanhã… Precisamos deixar de fomentar filhos desvalidos, incapazes de enfrentar suas próprias obrigações, porque os pais de hoje, deram-se à tarefa de resolver-lhes tudo…

Por cada habilidade que o filho possa fazer e que você o faça ainda, está-o convertendo numa pessoa que não utiliza seus recursos e os desenvolve para que se tornem destros…

Resolver-lhes tudo nos leva a formar filhos mimados, que sentem que merecem tudo, e que ademais, sua formação de caráter e personalidade, estão achatados…

Além de que é importante transmitir que nosso amor por eles também significa dizer, muitas vezes não… Este é um chamado aos pais de família para que reconsiderem suas formas e maneiras de educar, para que assim cumpram socialmente o papel que lhes corresponde, educar a prole e entregar filhos de bem à sociedade….

Alguns dos temas, tratado, neste artigo, um pequeno esboço curto de uma idéia para um tema de monografia ou TCC sobre a relação pais e filhos, podem afetar suas apreciações no referente aos temas de relações humanas, se é assim escreva-nos e se não também pois desejaríamos aprimorar este texto constantemente.

Caso deseje saber mais sobre Psicologia e temas para artigo cientifico

VEJA TAMBÉM MAIS ARTIGOS INTERESSANTES:

COMO DEFINIR O PROBLEMA EM UMA MONOGRAFIA

PAPEL DO ORIENTADOR DE MONOGRAFIAS E TCC

 

 

 
COPYRIGHT